História do Alfajor

Sabe o que significa “al hasu”? Não? Então temos uma curiosidade pra te contar: em árabe quer dizer “recheado”, e foi esse o primeiro nome dado a esse doce que mais parece um pedaço do céu, o alfajor! Vamos te contar um pouco da trajetória dessa maravilha que é #pop em países como Uruguai, Chile e Argentina, mas que na verdade não teve sua origem pelas terras latinas.

O alfajor, ou só “alfa” (apelido carinhoso que damos a ele), surgiu da ocupação de africanos muçulmanos (ou mouros) na Península Ibérica um tempão atrás, que teve início no século VII. O primeiro alfajor de que se tem registro foi da região de Andaluzia, na Espanha. Com um formato cilíndrico, ele era bastante parecido com um torrone, e diferente dos produzidos hoje, era feito com mel, amêndoas, avelã, farinha, pão ralado e especiarias (cadê o doce de leite?). A chamada torta de alfajor, feita com dois biscoitos recheados com uma massa de pão, mel, amêndoas e canela, também produzida em Andaluzia, se assemelha um pouco mais ao doce que conhecemos hoje (é, definitivamente, faltou o doce de leite)!

Alfajores e bocaditos Odara com doce de leiteE como ele chegou até nós? Bueno, durante as grandes navegações ele foi servido de alimento para as tropas dos navios e foi assim que essas pequenas doses de felicidade vieram parar na América do Sul. Não deu outra: rapidamente eles se espalharam por todo o continente, ganhando diferentes segredos em sua receita de acordo com as culturas locais. A evolução do alfa para o jeitinho que conhecemos hoje é atribuída ao químico francês Augusto Chammás (#valeu Chammás!), que emigrou para a Argentina com a família e, em 1869, produziu esse doce feito com dois biscoitos redondos cobertos por açúcar. Na época, eram oferecidos cinco sabores de recheio: doce de leite (até que enfim 🙌), damasco, figo, pêssego e marmelo.

De lá pra cá diversas variações surgiram, dependendo do país e região, com inúmeras opções de recheio e cobertura, sendo o mais famoso o alfajor recheado de doce de leite e coberto com chocolate. E a continuação disso vocês já sabem: Alfajores Odara chegaram para ficar <3.

Quer saber mais sobre a Odara? Clique aqui e leia nosso manifesto!

Referências:
Blog Yuri Bittar
Infobae
20 minutos
Medina Sidonia
Foto – Christian Vinces