História do Alfajor

Sabe o que significa “al hasu”? Não? Então temos uma curiosidade pra te contar: em árabe quer dizer “recheado”, e foi esse o primeiro nome dado a esse doce que mais parece um pedaço do céu, o alfajor! Vamos te contar um pouco da trajetória dessa maravilha que é #pop em países como Uruguai, Chile e Argentina, mas que na verdade não teve sua origem pelas terras latinas.

O alfajor, ou só “alfa” (apelido carinhoso que damos a ele), surgiu da ocupação de africanos muçulmanos (ou mouros) na Península Ibérica um tempão atrás, que teve início no século VII. O primeiro alfajor de que se tem registro foi da região de Andaluzia, na Espanha. Com um formato cilíndrico, ele era bastante parecido com um torrone, e diferente dos produzidos hoje, era feito com mel, amêndoas, avelã, farinha, pão ralado e especiarias (cadê o doce de leite?). A chamada torta de alfajor, feita com dois biscoitos recheados com uma massa de pão, mel, amêndoas e canela, também produzida em Andaluzia, se assemelha um pouco mais ao doce que conhecemos hoje (é, definitivamente, faltou o doce de leite)!

Alfajor Odara preto meio amargo com recheio de doce de leiteE como ele chegou até nós? Bueno, durante as grandes navegações ele foi servido de alimento para as tropas dos navios e foi assim que essas pequenas doses de felicidade vieram parar na América do Sul. Não deu outra: rapidamente eles se espalharam por todo o continente, ganhando diferentes segredos em sua receita de acordo com as culturas locais. A evolução do alfa para o jeitinho que conhecemos hoje é atribuída ao químico francês Augusto Chammás (#valeu Chammás!), que emigrou para a Argentina com a família e, em 1869, produziu esse doce feito com dois biscoitos redondos cobertos por açúcar. Na época, eram oferecidos cinco sabores de recheio: doce de leite (até que enfim 🙌), damasco, figo, pêssego e marmelo.

De lá pra cá diversas variações surgiram, dependendo do país e região, com inúmeras opções de recheio e cobertura, sendo o mais famoso o alfajor recheado de doce de leite e coberto com chocolate. E a continuação disso vocês já sabem: Alfajores Odara chegaram para ficar <3.

Conheça nossos sabores de alfajores e mini-alfajoers clicando aqui.

Referências:
Blog Yuri Bittar
Infobae
20 minutos
Medina Sidonia
Foto – Christian Vinces